sexta-feira

vou dizer ao espelho que te transforme em pó de prata


vou espelhar tudo por todo o lado
e sempre que me voltar 
sempre que achar que te posso olhar , abro os olhos
e olho-me !
vou espelhar em prateado tudo aquilo que te esconde em cores que não conheço
espelho tudo !
por todo o lado!
vou levando comigo 
no meu andar apressado, toda a pressa de te ver 
e olho 
já com angustia e certeza 
que ao meu redor verei sempre aquilo que vejo e revejo
vezes sem conta 
em olhares confundidos

nunca mais vou olhar para lá dum espelho qualquer 
vou deixa-lo por aí , por todas as ruas onde passo 
e quando te quiser olhar
para além dum cinzento de prata 
sei que não vejo a tua cor

vou espalha-lo por aí 
este espelho que me diz tudo o que não quero saber 
fala comigo e olho-me 
e como me vejo nem te reconheço
não te vejo
para lá daquele reflexo
vejo prata  !

vou dizer-me ao espelho que não preciso de ti 
vou dizer-me ao espelho que não diferencio o que vejo
vou dizer-me ao espelho que não quero tirar os olhos dali 
vou dizer ao espelho que te preciso já!
agora  !
vou dizer ao espelho que não se parta 
que só se desfaça em pó de prata 

que me siga 
que me envolva por todos os lados 
que não me deixe ver para além de tudo o que me fazes pensar

vou pedir ao espelho que me queiras para sempre 
e para sempre o deixarei por ali 
só por onde eu puder andar
vou dizer ao espelho que te desfaça ao meu passar

vou dizer ao espelho que te transforme em pó de prata


Teresa Maria Queiroz / 29 de Outubro 2010
Foto  / Helena Lagartinho





9 comentários:

M. disse...

Continua assim...

Malu disse...

Menina, selinho para ti lá no meu blog.
Estas páginas merecem!
Talvez já até tenha sido indicada, mas não há problemas...

Malu disse...

Menina, selinho para ti lá no meu blog.
Estas páginas merecem!
Talvez já até tenha sido indicada, mas não há problemas...

José Gonçalves disse...

Olá Teresa,

Que texto intenso e poderoso este que escreves com firmeza!

Uma escrita diferente, explosiva!

Cada vez mais me vejo num mergulho ao contrário.

Lindo!

E belo rosto o rosto registado em tons de creme.

Sublime mensagem.

Bom final de semana.

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

Sonhadora disse...

Minha querida
Lindo poema... e será que consegues dizer isso tudo ao espelho?

beijinhos
Sonhadora

Luís Coelho disse...

A prata está espalhada neste belo pooema. Muitos dias andamos cegos e não vemos e não amamos com o coração que aviva tantas cores.

izzy disse...

a foto está muito gira :)


www.atelierizzy.blogspot.com (bijuteria/artesanato)

Wagner disse...

Eu achei muito comovente. A apropriação que o poeta tem das imagens é realmente algo fabuloso. Abraços!

Anónimo disse...

pós impressionante. Realmente gostei de ler seus posts.