domingo

A Liberdade estava quase a chegar, só podia correr bem

Tinha nove anos , naquele Abril de 74.
Acordei e disseram-me que não ia à escola. Fiquei contente, sem entender o que se passava .
Reconheci olhares de felicidade e esperança, nas caras que por ali andavam à minha volta.
Os meus pais e irmãos , "colados" ao rádio, como se dali fosse sair alguma coisa.
Nem imaginava o que poderia ser.
O nervosismo instalava-se nas mãos de todos , todos davam as mão trémulas de felicidade.
A Liberdade estava quase a chegar.Só podia correr bem,diziam uns aos outros .
Eu olhava e sorria , porque sabia que deveria sorrir.
Sem saber, dava as boas vindas à Liberdade .
Com saia curta e meias pelo joelho, sentava-me muito quieta e observava todos os movimentos , ainda meio secretos , de quem não estava habituado a viver em Liberdade.
Foram chegando os amigos, abraçavam-se e as lágrimas caíam no meio de sorrisos. Comentavam uns com os outros ...que desta vez é que é !
Eu ouvia com muita atenção, sorria e chorava também por solidariedade.
Estava nervosa e feliz, sabia que estava a acontecer alguma coisa muito boa, pela qual todos ansiavam
Sempre me ensinaram assim, mesmo às escondidas de todos , sempre me ensinaram a ser solidária, a respeitar a liberdade . Tarefa difícil para quem nunca a tinha experimentado!
Naquele dia , só me lembrei ,sem nunca ter percebido que até ali, tudo era conversado "à porta fechada".
Lá em casa, falávamos livremente ...mas sem ninguém poder ouvir.
Nuca tinha entendido o porquê.
Recordei o dia em que o meu irmão mais velho, foi preso pela polícia à porta do Liceu. Os meus pais foram busca-lo, ele apareceu em casa de cabeça rapada .
Nunca tinha percebido porquê, só me lembro da risota que foi , quando o meu irmão contou que tinha perguntado ao polícia para que lado fazia agora o risco, e o polícia fez-lhe um corte na orelha :)
Eu não percebia o que se passava, nem porque tinha sido preso.... sabia que não era um "bandido".
Recordei as histórias que o meu pai contava à mesa. Episódios passados na prisão, durante o tempo que esteve preso.
Sabia que o meu pai também não era um "bandido"
Lembro-me que ele nunca dramatizava e só contava as partes cómicas da situação, conseguia encontrar humor.
Passavam-nos assim, devagarinho e com firmeza todos os valores que hoje me regem. Passavam-nos a Liberdade que sabiam ser possível, grandes mestres da minha vida !
Obrigada Pai
Obrigada Mãe
Pela coragem , e por sempre terem acreditado.

14 comentários:

Cirrus disse...

Abril Sempre!!

Francisco Vieira disse...

Que venha um a serio, desta vez.

Boa noite Teresa :-)

continuando assim... disse...

Obrigada Cirrus :) ...e pelos Pink floyd lá no teu lado :)

Francisco.... só lá vamos com outro :)

bjs

Lou Alma disse...

Sou filha da madrugada, não recordo outro estar que não seja em liberdade, mas hoje reconheço que a nossa liberdade está doente e que necessitamos de fazer florir novamente os cravos no nosso jardim à beira mar plantado, beijos.

Luz disse...

Olá Teresa,
Confesso que sinto estar em falta contigo..., li o teu livro e desde já posso dizer que revi muita coisa e, depois irei dizer-te. Há coisas, situações que de facto são incompreensíveis para quem ama com todo o seu ser e, o outro lado não consegue compreender, enfim...
Sabes lamento que haja quem não saiba o que é o amor, nem nunca tenha sabido... Desculpa este desabafo...

Este teu post, apesar de ainda não ter completado os meus 4 anos, recordo alguma agitação, certas imagens, um movimento diferente nas ruas, imagens que não esquecemos nunca, no entanto, penso que necessitamos de uma outra revolução, caso contrário, não passaremos deste estado em que nos encontramos!

Obrigada pelas tuas visitas, é sempre um gosto receber-te.
E, aproveito para dizer que o selo que tenho no animalucemia também é para ti, merece-lo, ainda que não tenha seleccionado blogues, mas aqueles por onde passo e, aqueles que por ali passem podem pegar e levar.

Bjo de Luz
(E agora também podes visitar-me em mais um cantinho caso queiras...)

Mary disse...

temos muito em comum então...

http://mary-assuntosdiversos.blogspot.com/2009/04/o-idealismo-de-um-homem.html

Viva a Liberdade!
bj

Vitor disse...

Parece-me bem,que hoje só já é Abril para alguns...os outros andam a roubar...!!!

Bj*

uminuto disse...

lametavelmente muitos dos sonhos de Abril ainda estão por concretizar
um beijo meu

Robério Marques disse...

Em visita, adorei o blog. Muito bom o texto, os textos melhor dizendo. Parabéns.
quando poder, visite o meu espaço também!.
Abraço forte!

ONG ALERTA disse...

Valores talvez hoje perdidos pelas pessoas...paz.

Há.dias.assim disse...

E já lá vão 36 anos...
Boa semana

Observador disse...

Correu bem até ao momento em que começaram a surgir os contra, os oportunistas, os falhados.

Nilson Barcelli disse...

Gostei de ler o teu ponto de vista sobre o 25 de Abril, ainda que na altura tivesses apenas 9 anos.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

fez-me lembrar a cançaõ do Chico "foi bonita a festa, pá" Olá se foi! Ainda a recordo como se fosse hoje, apesar de na altura estar enfiado num quartel. Ou por causa disso...