terça-feira

posso segurar-me em fendas mal feitas


seca de tanto me molhar
sequei-me num muro rasgado por finos traços
relevos
marcados num tempo que me secou
hoje poderei escorregar por ali

nem me seguro
nem me movo
quedo-me

sussurra-me !

posso espreitar
calada...
devagar
posso-me segurar em fendas mal feitas

hoje já
seca de tanto me molhar
espero não cair
acho que me consigo agarrar

desejando que não me sopres
espero um tempo que não me mova
espero um vento que não me leve

e tão leve me seguro em pontas
aprendi assim...
posso segurar-me em fendas mal feitas
esperar...
agarrar cantos
relevos dum tempo construído
gravado em riscos finos

sem luz
sem medo
de medo ter...
seguro-me a mim

não me sopres!

hoje poderei escorregar por ali
colada a muros secos
não me movo
não me sopro

não me sopres !
segura-me !
sussurra.me ...

seguro-me...
sei que me posso desprender
seguram-me fendas mal feitas
relevos dum tempo que me movia

seguro-me
esperando a brisa que me leva
seguro-me
desejando que não me sopres
segura-me !

e
espreito-te
esperando por mim...
sussurras-me ...


Teresa Maria Queiroz/ 14 Dezembro  2010
Foto / Sonja Valentina

4 comentários:

Lou Alma disse...

Bonito Teresa, muito,muito bonito...

Janaina Cruz disse...

Pode até molhar-se novamente, podes fazer o que bem entender...

akitoueu disse...

E por aqui me quedo, esperançado que o 2011 te traga de volta o que deixaste fugir neste velho ano que se esfumaça no tempo.

Beijos

Vitor disse...

…Aquela conversa do costume, bom 2011 bláblá,etc;-)))…mas acima de tudo foi um prazer ler-te,e contigo aprender como as palavras são uma forma sábia de conhecer…e voltar cá para o ano para contigo partilhar…tudo o que me deres através das letras e do teu saber!

Bj*