segunda-feira

Speak My Language


numa esquadria confundida
perece que danço

um tronco feito bailarina
equilibro-me  entre buracos geométricos dum olhar quente
que esfria quando intenso

por aí bailo

certa que me transformo em tronco e não reparo
desfaço esquadrias imperfeitas na rectidão dos teus quentes olhares 
frios quando intensos
definidos como quadrados tortos

andando em traços bambos
olho o teu olhar que se amorna
de frio se torna quente

aquecido em mim 
recorta quadrados de esquadrias sobrepostas

e eu
bailarina

me transformo

na solidez dum tronco que dança
em cima de ti 
sentes-me  
bailando nesse teu olhar recto

traças linhas
refazes quadrados
na rigidez do teu traço

amornas o teu olhar
nessa mistura estudada
olhando a minha insegura dança 

de régua e esquadro
redefines quadrados
e nesse teu indefinido olhar
bailo
balanço  desengonçada

tornando-me tronco firme  
na frieza desse teu olhar esquadrado

tornando-me ágil na doçura desse teu quente olhar

misturas-me no  que não conheço

TMQueiroz / Outubro 2010
Foto / Janjan Pais











5 comentários:

Francisco Vieira disse...

Melhorou!

Estava a ver que ainda não era hoje :-)

Muito bom. Ao nível do que já nos acostumaste

Um beijo, Teresa

Hellag disse...

misturas-me no que não conheço...sempre excelentes... :)

Há.dias.assim disse...

E isso é essencial...

Bípede Falante disse...

Haja equilíbrio para não se deixar cair!

Leonardo B. disse...

[uma trave é sempre pouco para o mundo: a palavra é que o traz na sua rota, imprecisa, por vezes torta... a nossa linha em linha recta, paralela luz e escuridão dentro da linguagem, na palavra arada]

um imenso abraço, Teresa

Leonardo B.