sexta-feira

esquecido


   foto / Sonja Valentina 

esquecido de tudo
um dia te encontro assim
ancorado, esquecido do teu passado. 
envolto num musgo podre
esquecido de como se rema
ali estás… esperando que te guiem por aí...
sem vontade, não sabes qual o rumo que tomas
esquecido de tudo, encontro-te ondulando em águas paradas.
águas que já não se agitam à tua volta
algas que te enfeitam
que se colam e sujam a tua frágil alma ...
Esquecido
ancoraste por aí, e assim ficaste…
parado no teu tempo imaginado
já não esperando nada
sozinho
baralhas-te e
afogas-te em sujos ninhos de musgo
apodreces, sem saber, nessa lama parda.
Lembrando-te do que já foi, esquecido ficarás de mim
esquecido ficarás da vida
sem rumo, não rumarás
sem Norte
não entendes quais os pontos que tens de seguir...
aí ancorado
não sabes zarpar com âncora
………………………..
já sem mim...
não te amarram âncoras que te saibam liberar
Olvidado de tudo
envolto em nada
ancorado em ti...
assim estarás e assim ficarás
………………………..
Um dia te encontrarei
soltarei a velha corda que teimosamente te amarra,
te deixa apodrecer
em fétidas águas paradas
um dia te encontrarei...



     Teresa Maria Queiroz
         Foto / Sonja Valentina

14 comentários:

Lou Alma disse...

Que bonito Teresa, como sempre, com um leve toque de esperança , as tuas palavras preenchem.

Malu disse...

E quantas pessoas se esquecem, Teresa!
Esquecidos n'algum lugar intocável...
E por mais que tentemos lembrá-los, esquecidos permanecerão, apenas nós os lembraremos...
Beijinhos

redjan disse...

Brilhantes ... a fotografia e as palavras, a viagem e a quietude ... a alma de mãos que apanham bocados e outras que o escrevem.

Obrigado Teresa, Obrigado Valentina ... pelos momentos gastos em levar de outros. Olhares. A sítios assim de vida e poesia !

Sonhadora disse...

Minha querida
Quando o poço é fundo é muito difícil sair, lindo poema muito realista.

Beijinhos
Sonhadora

Anónimo disse...

hello


just signed up and wanted to say hello while I read through the posts


hopefully this is just what im looking for, looks like i have a lot to read.

Mar Arável disse...

Até no fundo de um poço

há uma réstia de água

como espelho

José Gonçalves disse...

Olá Teresa,

Linda História, com o seu quê de realidade, com o seu quê de esperança.

Muitas vezes, por força de nos "habituarmos" ao Caminho que é a Vida, esquecemos precisamente de Caminhar nessa Vida.

Vamos indo, deixando-nos levar ao sabor das correntes e dos ventos.

Muitas vezes, deixamo-nos ir até ao fundo do poço de uma forma tão inconsciente que quando damos conta, não nos restam forças para reerguer.

Outras, já bem lá no fundo do poço, de tanto querermos sair, tanto escavamos, tanto escavamos, que cada vez ficamos mais prisioneiros desse mesmo "buraco".

Estranho, não?

São as tais lamas, onde, inconscientemente, vamos deixando algo de nós preso na viagem da vida!

É uma História com enigmas para nos fazer pensar!

E muito!!!

Parabéns.

Apenas isso Amiga Teresa.

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

Salvador disse...

Bem... a Teresa é uma Poetisa de primeira.
'Nothing really ends' (DEUS), Teresa.
Tenha um excelente fim de semana.

Camila Almeida disse...

gostei do blog, estou te seguindo, me siga tbm!
bjs!

Conceição disse...

Olá amiga!

Está lindo o teu texto. Gostei muito de ler.
E agora um convite lá no blog do David, para mais uma exposição pinceladas por David, para o tratamento do David para a epilepsia. Se quiseres divulgar aqui também toda a ajuda é bem-vinda. Mas não deixes de nos visitar. Beijinhos

Vitor disse...

E continuando assim...se faz história,contadas em palavras que inspiram,e nos levam nelas...!!!

Bj*

Barbara disse...

Em volta de alguma coisa?
Mas belamente expressas.

continuando assim... disse...

obrigada pelas palavras

um .. special thankss -- ao anónimo :)


bj
teresa

Anónimo disse...

Gostei.