segunda-feira

Pequenos hábitos...


Talvez porque tudo na vida seja feito de pequenos ou grandes hábitos...habituei-me à tua breve presença nocturna, figurada em curtas mensagens, talvez seja mesmo tudo isso...

Apenas hábitos... Que nos formatam o saber esperar...que nos avisam os momentos que sabemos vir a viver...mesmo que sejam breves, mesmo que seja tão pouco, mesmo querendo cada vez mais...esperamos por eles, conforta-nos o saber que vão chegar à hora mais ou menos marcada…

 Esses pequenos hábitos que vamos organizando como uma segura defesa... quando nos falta o hábito,  tão frequentemente habituado, desorientamos o raciocínio, questionamos tudo, mesmo aquilo que sempre foi inquestionável, e não queríamos pensar em questionar.

Apoiados no pequeno hábito adquirido, deixámos de equacionar...

Pequenos ou grandes hábitos, criam a confortável ilusão de certeza...a certeza, que aquela mensagem nos chega à hora marcada, pode ser curta ou mesmo não dizer quase nada.

 Mas a certeza da sua chegada faz-nos pensar que organizamos os sentimentos, tão frágeis, tão inseguros, tão ténues....mas esperados

Quando o hábito se quebra, sem aviso prévio, assalta-nos o tenebroso desespero, a incerteza....
Não nos apercebermos que apesar do pequeno hábito, simplesmente, nada assegurava nada, apenas nos embalava naquela doce ilusão de pensar, que o hábito nos segura e afaga a alma....

Pequenos hábitos que aliviam grandes feridas, e que quando cortados assim abruptamente e sem aviso, as transformam em chagas ainda mais profundas...

Pequenos hábitos...

Uma pequena, curta ténue e simples, ou disparatada mensagem... aliviava... só aliviava... apenas aliviava 

(já há muito que nada me dizes ...depois desse iogurte... o que queres que diga às pessoas...?? )







8 comentários:

oscarito disse...

Eu tenho o hábito de agradecer as visitas que me fazem. Por isso aqui estou, agradecendo a tua visita desejando que se tornem num hábito.
Contrariamente ao que possa parecer, não tenho o hábito de brincar com as palavras, mas desta vez fi-lo, contrariando esse hábito.
Já estou ficando confuso com tanto "hábito", p que não é habitual.
Mau! É melhor acabar! Beijo/Óscar

ps.: li o "teu" Regaços! Gostei muito!

Girl in the Clouds disse...

Isso é verdade há pequenos hábitos, que custa quebrar!! Kiss

A Senhora disse...

E quando o hábito é conversar com uma pessoa, todos os dias, a quebra é quase um buraco, um abismo que se abre a nossos pés. Mas depois passa... :)

beijinhos

O LOBO de....POTT disse...

Pronto ,aqui estou!
Nao precisas de ficar ansiosa.Eu volto sempre,alias,ja nao sei viver sem ti.
A minha ausencia deve-se ao facto da porcaria do computador ter pifado.
Estou contigo de alma e coraçao.
Quando precisares ´e s´o gritaraes.
Como deves ter reparado n~~ao consigo por acentos,sai tudo torto.

Beijos enormes

continuando assim... disse...

ai Lobo!!! só me faltava agora que tu me deixasses ...assim.....

:(
bj

mfc disse...

Esses pequenos hábitos sempre nos confortam.

Inês Dunas disse...

Os hábitos não nos vestem ao acaso... Como uma segunda pele, são a face assumida da nossa redoma, marcando a nossa identidade de detalhes! Gosto imenso de a ler, merece os 100 seguidores, q q meu ver ainda são poucos! Beijinhos!

Luz disse...

Olá Teresa,
Quando li este teu post, nem imaginas..., o que me revi e, como recuei no tempo..., curioso durante muito tempo os sms eram aos mil sem exagero, dava para encher cadernos, escrever um livro, as noites eram assim, a trocar sms, a companhia que se fazia um ao outro era assim..., mas depois também isso muda...
Somos seres de hábitos já o dizia Aristóteles e, acertou, somos mesmo, aquilo a que hoje nos habituamos, amanhã quem sabe temos que nos desabituar, porque assim tem de ser, porque alguém nos "obriga" a isso ou, nós mesmos, porque não podemos fazer uma vida inteira a mesma figura..., o pior é que eu não sou dada àquela ideia que infelizmente singra por aí, do passar de "bestial a besta", eu sou de afectos, eu ligo-me, envolvo-me, entrego-te, vivo com intensidade, sou assim, mas parva também não sou :)

Beijo e, vamos continuando assim...

P.S.- Teresa fizeste um comentário no texto Solidão no atomovida, mas ando com problemas terríveis no meu rato e, quando o publiquei,deu a mensagem que tinha sido publicado, mas não ficou, se quiseres repetir, posso fazer aqui um copy do que escreveste. Sorry, mas foi o maldito do rato que me deu conta da cabeça, já tive que colocar outro :(

O teu comentário:
é isso mesmo ... e a solidão nunca está só :) :(
bj
teresa