quarta-feira

deixei de ter lágrimas transparentes

deixei de ter lágrimas transparentes
quando as tenho borro-as de cor
na esperança que se vejam

deixei de ter lágrimas transparentes
transformam-se em nós de garganta
deixei que os meus olhos vivessem

deixei que o transparente de sal
se torna-se um pedregulho
enrolado em mim

deixei que me tirassem as lágrimas
que me pintassem portas amarelas
que esborratassem escadas
para eu as poder passar

deixei de ter lágrimas transparentes

e o susto
assim
tão de repente
mostra que a garganta é salina
hoje
quero
que o transparente me acorde

deixei que me tirassem as lágrimas
que mas pincelassem de cor
deixei que me pintassem os rios

subo escadas que não são
entro em portas que não estão

deixei de ter lágrimas transparentes


Teresa Maria Queiroz - Junho 2011
Foto: Teresa Amaro 




4 comentários:

mfc disse...

Também precisamos que os outros sintam os nossos sentimentos!
É paradoxal, mas é assim.

Malu disse...

Amiga, as lágrimas com cores nos fazem mais fortes e absolutos...
Abraços

Mar Arável disse...

Já vi um cego chorar

lágrimas vivas

Anónimo disse...

test