segunda-feira

Sem aviso, nunca mais desapareces


Sem aviso
Não avisas ninguém
Sem aviso apareces
Espreitas por uma fresta aberta
renasces 
Bebes uma água que se gela
engoles gotas
Com a força que não tens
Enches de cor o gelo que te carrega
Sem aviso apareces
rompes
Sem aviso nunca mais desapareces
Sem aviso
Não avisas ninguém
 desfazes-te na cor do teu calor
Sem aviso apareces assim
sem ninguém querer
estremeces 
Sem eu te querer perceber
nunca mais desapareces
Vejo-te contraste berrante
Entre uma vida
e
uma espera alucinante
vendo-te assim
nessa tua quente cor 
desacreditando-me
não te acredito

TMQueiroz
foto / Gray 





1 comentário:

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Lindo...Para ler 'coisas' assim não é preciso avisar,é um prazer!