terça-feira

agarro-me a garras escondidas


se molhar os pés em lama viva
prendo-me numa visão descolorada
se molhar os pés em lama viva
agarram-me garras desconhecidas

puxam-me

se molhar os pés em terra parda
não me chegam rios
não me sabe a nada

se molhar os pés em lama viva
balanço-me  nuvens de cor
agarro garras escondidas

se molhar os pés em lama viva
seguram-me
em terras que se movem
puxam-me
para dentro de nada
turvo a visão
já não quero ver

saltito entre pedras afogueadas
se molhar os pés em lama viva
queimo-me
e
nunca mais sentirei nada

quentes terras que me agarram
visões frias que me soltam

saltito entre pedras
molhando os meus pés em terras
segurando água que não se segura
turvando-me numa clara visão
insegura mistura

se molhar os pés em terras vivas
agarro-me a  garras escondidas

Teresa Maria Queiroz / Fevereiro 2011
Foto: Teresa Amaro 



7 comentários:

mfc disse...

A vida é um risco... bonito!

Evanir disse...

Estou em seu blog pela primeira vez .Gostei muito de sua postagens .
Espero poder voltar mais vezes vai ser um prazer.
Estou seguindo seu blog venha conhecer o meu caso gostar siga-me.
Um beijo carinhoso ,Evanir.
www.fonte-amor.zip.net
http://aviagem1.blogspot.com/

Mar Arável disse...

é preciso ousar

Madame disse...

Vc me deu vontade de fumar.

bjus

Sonia Schmorantz disse...

Intrigante este poema, por isso mesmo muito bom, faz pensar, interpretar...
beijos

Lilá(s) disse...

Continuas com boas postagens! continua assim...
Bjs

Vitor disse...

Bom carnaval…escrevendo sátiras a quem de direito!

Bj*