terça-feira

Não se arquivam



Amores amores de tudo. Catalogamos tentamos arquivar tentamos nominar Contamos.... e contamos...

Não sabemos! Não sabemos... nominar.

Não podemos. Não existem medidas.

Não há regras.

Não existem catálogos...

Não existe nada para nominar!!

Nos amores... Que tolos somos.... nos amores.

Todos os dias sempre sempre a tentar... arquivar amores.

Nominar e contar.

Nunca percebemos.

Que os amores...é tudo e não é nada... Não se agarram!

Não se contam!

Não se arquivam!

Sentem-se....os amores.

E mais nada....

6 comentários:

Conversa Inútil de Roderick disse...

Amor é...

maria inês disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário! O texto nao e meu, de facto, mas esta a ser comentado por quem o fez! o roubar e força de expressao

Maria, Simplesmente disse...

Amores são como borboletas difíceis de prender e... belos...belos!
Maria

Graça Pereira disse...

É isso Teresa. Os amores, sentem-se... e mais nada. Esquece o arquivo e sente esse fogo. Um beijo Graça

Pinkk Candy disse...

hello!
os amores sentem-se, é isso mesmo! :-)

vou seguir-te neste blogue, o critério que escolhi, talvez por ser o mais actualizado, ou não?
mesmo assim não percebo para quê tantos blogues, bem o da decoração percebo :) lol
mas tu é que sabes =P
será que eu também preciso de mais que um blogue, eheheheh, vai na volta :DD

xoxo

Teresa Durães disse...

os séculos passam e o amor continua a ser uma variável desconhecida que não sabemos gerir